Quando saí de casa

Saí de casa os 14 anos. Calma! Não juntei minhas “trouxinhas” e fui sem rumo. Deixe-me contar direitinho. 

Fui criada na zona rural, no interior do interior de Minas Gerais e sempre tive o sonho de conhecer e conquistar o mundo, e o caminho mais propício era me dedicar aos estudos. Assim comecei procurar possibilidades para minha tão sonhada aventura, desde a sexta série do fundamental (hoje chamam de sétimo ano). Foi aí que me informaram de uma escola agrícola com direito a alojamento e alimentação, que até uma parente minha estudava.

Na época, computador era muito raro na região e com internet muito menos, então as informações que tinha eram bem informais. A sorte foi que no ano da seletiva para ingressar na tal escola, colocaram internet discada no escritório que meu pai trabalhava lá na roça. Eu super jacu até suava para digitar de tanto medo de errar a inscrição e também porque PC era super novidade para mim né rsrs

Enfim, deu tudo certo. Fui “varar” lá em barracão, distrito de Santa Teresa – ES, no Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Espírito Santo – Campus Santa Teresa, famosa Escola Agrotécnica Federal de Santa Teresa (EAFST). Inclusive, o primeiro ano a ser chamado de IFES. 

154436_508628512489727_1220641902_n                                                         IFES – Campus Santa Teresa

Foi muita novidade de uma vez só: 21 matérias por bimestre; ter aula no período matutino e no vespertino; morar num quarto com mais 3 meninas de personalidades super diferentes; caximbação (o famoso trote que durava o primeiro ano inteiro); ser chamada por novata ou pelo meu apelido (todo mundo tinha um apelido, desde os mais fofos até os mais estranhos); estudar numa sala com apenas 4 moças (contando comigo) e lotada de baianos; capinar, tirar leite, carregar saco de silagem; e a novidade mais forte – morar fora de casa. 

Foram três anos cheios de experiências positivas e negativas. Aprendi a respeitar as diferenças, me virar para resolver as coisas, correr atrás dos meus objetivos, chupar laranja escondida no pomar, deitar no campo de futebol ou atrás da biblioteca para admirar o céu e o silêncio, virar madrugadas estudando no banheiro do alojamento, cumprir regras e também quebrá-las…

…então, se você está atrás de crescimento pessoal e profissional vale muito a pena sair cedo de casa para morar numa escola agrotécnica, mas se seu foco é apenas “dar a louca” nesse mundão afora, não aconselho sair tão cedo.
Quando somos adolescentes nos sentimos eternos, achamos que nada irá nos atingir, é tudo muito intenso, os hormônios ficam a flor da pele, e infelizmente vi colegas tomarem decisões não muito agradáveis que decepcionaram bastante as pessoas que os amavam. Portanto, a dica é ter foco e se divertir!!! 
Espero voltar aqui para compartilhar um pouquinho sobre os projetos legais que participei e outras experiências. 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: